quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

. Lá no fundo mesmo... .




No fundo, eu acho que quando não desejar mais tanto e tudo isso as coisas começarão a acontecer. O duro vai ser me convencer (já que estou tão desacreditada), a não crer e não ter fé mais em nada, para que a fé faça tudo rolar.
No fundo, eu sei o meu problema: deposito a minha felicidade nos outros. Isso é triste porque nem comigo mesma posso contar.
E ainda mais no fundo, o problema é essa carência que me consome toda. É sentir arrepio e inveja ao ver um casal se abraçando.
É desejar beijo na boca, e não mais aqueele beijo, mas qualquer beijo.
Sabe quando você perde a hora e chega na hora em que a feira está acabando e, no desespero para garantir a próxima refeição sai gritando: “o que tiver eu to levando!”.
Sabe quando você quer ter alguém pra ligar e falar qualquer coisa além daquele seu amigo que é amigo do teu ex-barraqueiro e que, lá no fundo mesmo, você quer pegar?
Sabe o que é estar ao ponto de pagar o valor que for pra ir pra cidade distante em um dia e voltar no outro, só para, por uma noite que seja, se sentir amada, querida ou ao menos desejada?
Por favor, diga que você sabe, antes que eu surte e pareça todo mundo, que no fundo, lá no fundo mesmo, não é ninguém!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

. E eu que sabia que acabaria.. .




É claro, nossa felicidade duraria pouco. Ela havia começado com data certa para sua morte. E uma vez iniciada eu deveria ir até o fim, para ver “no que daria” e assumir as conseqüências disso tudo. É claro também que eu iria até o fim. Que graça tem ver só a metade boa do filme? O que seria de Titanic se eu não tivesse visto o Jack morrer congelado?
Bom e como já previsto, acabou.
A nossa felicidade em relembrar um passadinho de tanto tempo atrás, de colorir um pouco a amizade e de dar uns beijinhos com brilho nos olhos acabaria hoje. Confesso que eu não esperava que fosse tão depressa, e nem que a namorada dele tivesse um sexto sentido tão aguçado. Mas sim, arriscamos demais. Desfilamos como amigos coloridos que não se desgrudavam, ele ficava feliz ao perguntarem se tinha mudado de namorada e eu em ser a primeira dama naquele sábado. Alguém tinha de contar para ela né. Mundo pequeno, cidade minúscula, todo mundo se conhece...
Não nos víamos há um ano, mas parece que desde ontem. Engraçado como a nossa intimidade não muda. Eu me sinto a vontade com ele sabe. E ela sempre soube que eu era um risco, e por isso fez com que, por um ano, eu ficasse longe.
Olha, eu não gosto de por chifre em ninguém, não acho mérito algum e até fico imaginando a guria, com peso na consciência. Mas passa. E eu vi ele primeiro. E ele é meu super amigo poxa. Já passou por cada uma comigo e sabe tanto de mim que até nem sei. Eu gosto dele.
E por isso digo que a felicidade acaba aqui, hoje, agora. Acabou aliás. Acabou no instante em que ele me disse que ela havia lido uma mensagem minha de uns meses atrás. E eles brigaram. E ela chorou. E foi embora. E eu me senti culpada. E passou.
Oras, ele que é namorado dela não estava se preocupando, por que eu deveria?
Porque sou humana. E apesar de ter participado, eu não traí ninguém, nem sentimento de ninguém, apenas me permiti brincar um pouco, ter a tal da felicidade momentânea. E a vida não é feita disso?
Para tentar amenizar essa culpa que surgiu aqui, eu me presto ao papel de “vai ficar tudo bem”. E ele apenas diz que é complicado, que amanhã é a formatura dela. E pronto. Ele também sabe que vai ficar tudo bem, apesar de tantos “apenas” que me fazem pensar se esse amor é realmente grande. E se ela merece isso.
Sempre tive a sensação de que a traição que mais dói é aquela que há sentimento. E, bom, ler uma mensagem onde está escrito que a pessoa lembrou do teu namorado e que pergunta se ele vem mesmo essa semana, apesar das boas intenções (juro que foram boas), não deve ser fácil. Porque para ela (eu) mandar mensagem, é porque ele também manda. E ele ainda manda com S2. É.. A traição que mais dói é a com sentimento. Por mais que não tivessem feito nada.
Apesar disso tudo, ele ainda continua papeando como se nada tivesse acontecido. E me manda os corações de sempre e até me chama no rádio pra jogar papo fora e me contar que não posso contar com ele depois da meia noite porque ele não atende o rádio.
Bom saber...
E eu falo o quê? Conto tudo? Digo o quê? Peço o telefone dela pedindo para ela perdoar ele mesmo sem saber de tudo? E ela merece isso? E ele merece? Ora, e eu mereço?
Sempre tentando salvar o mundo.. Um dia aprendo que ele não tem mais jeito mesmo!
E eu me vou, como quem já sabe que teria de ir, mas como quem não queria ir embora sem se despedir.

domingo, 13 de dezembro de 2009

. Toda sua .




Só por hoje eu quero esquecer as inúmeras dores que tomam conta do meu corpo e me matam aos poucos para pensar em você.
Só Deus sabe o quanto quero te ver, o quanto quero sentir o teu gosto de novo e ser mais uma vez, como você diz, luz na sua vida.
Eu quero ser sua. Cuidar de você, te proteger, te fazer sorrir, te abraçar, te sentir...
Ser aquela pessoa pra quem você liga a qualquer hora, em qualquer lugar, nem que pra falar um “oi”.
Eu quero que você conte comigo e faça planos ao meu lado, porque eu sei que serei feliz ao seu. É pra você que eu quero cantar a canção mais romântica.
Eu quero te dar o meu riso mais gostoso, daqueles que mostram os meus dentes brancos que você tanto gosta e me fazem fechar os olhos. Eu sei que você é capaz de tirá-los de mim e pegá-los com facilidade.
Eu quero beijar você do jeito mais doce e depois te amar, de corpo e alma.
É para você que eu quero por a roupa mais bonita, o maior salto e o melhor perfume. Você diz que gosta tanto do meu cheiro, mas será que só eu percebi que ele é tão bom por estar ao seu lado?
Eu quero abrir mão de tudo. Eu quero jogar todo esse nada pro alto e ir vier contigo.
Eu quero não ter mais que rezar pedindo aos Céus que te cuidem, porque eu quero ser seu ar, seu chão, o seu abrigo.
E eu quero que você seja tudo para mim. E que nada mais importe.
Eu quero sentir de novo e todos os dias o frio na barriga que você me desperta. Eu quero ter insônia e ver você dormir. Eu quero quebrar todos os relógios e me esquecer que a vida passa, para viver na eternidade com você.
Eu quero amar você como nunca. Daqui para sempre. Acorrentar minha alma, ser tua luz, só ter olhos para você. E fazer disso tudo a tal felicidade.

E por fim, eu quero que você leve esse “tudo de mim”, mesmo que lhe pareça pouco e esteja meio machucado. Quero que me absorva, me consuma. Leve tudo que sou e me coloque em você. Vamos misturar nossas vidas que já estão cansadas dessas ruas escuras e solitárias...

“Eu quero a sorte de um amor tranqüilo, com sabor de fruta mordida
[...]
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida...”
(Cazuza)

. Carta para Deus .




Querido Deus,

Os dias não têm sido fáceis. Hoje vejo o quanto são mais duros se encarados sozinha.
Sei que no fundo não tenho e nem posso reclamar de nada. Graças ao Senhor tenho uma família digna e pais maravilhosos. Mas como ser humana que sou, sempre caminho à procura de mais. Mais momentos de felicidade, mais maturidade, mais saúde, mais amor. Confesso que essa procura me cansa, me decepciona e cada dia parece mais longa. É realmente cruel ter de carregar minhas pedras sozinha.
E eu sei meu Deus que muitas foram as oportunidades que o Senhor me deu de dividir. Muitos foram os que me amaram e eu permiti que apenas passassem pela minha vida. Muitos foram os meus erros, minhas dificuldades em me entregar e por vezes até, minha falta de compreensão, paciência, sabedoria.
Porém meu Pai ( e a vida é feita de porém), hoje compreendo e aceito essa minha necessidade doentia em dividir. Antes eu acreditava que me bastava, que os outros deviam sempre me amar mais, fazer mais por mim e, porque não, sofrer por mim. Mas hoje, depois de experimentar a pior solidão, que é aquela onde até consigo mesmo a pessoa se sente só, eu entendo a importância e a falta que me faz ter alguém.
Pode estar parecendo carta para santo casamenteiro pedindo marido, mas não Deus.
Dirigi esta carta ao Senhor por saber que é o melhor conhecedor disso que chamamos “amor”. E não venho pedir um marido.
Peço apenas que, agora que tirei a venda dos olhos e os muros do coração, me permita enxergar a luz e aquele que terá tudo de mim.
Apesar de ainda nova ou já velha, hoje finalmente me sinto pronta para ser de alguém e ter alguém para mim. Desse jeito meio posse mesmo. Porque entendi que amar é possuir um pouco alguém, mesmo que todos declarem que quem ama liberta. Acredito que quem ama se sente feliz e realizado em pertencer a alguém. Em ter para quem voltar.
E eu quero isso com todas as forças que restam neste corpo mundano.
Então Deus, eu não sei se fui convincente ou consegui expressar nestas linhas a força e a vontade de amar que trago no peito, mas se não consegui, será que dá para o Senhor dar uma mãozinha e iluminar um pouco toda essa bagunça?

Obrigada.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

. E o que eu faço .




E onde eu estava com a cabeça em me permitir a esse ponto? Onde pela graças dos Céus eu estava com a cabeça?
Burra, burra, burra, é só o que consigo me dizer.
A carência é tanta, o medo de ficar sozinha é tão maior, que me permito aceitar e gostar do pouco. Do mais ou menos. Do “é só isso mas ta bom”. Dos beijinhos xoxos sem amor. Das noites de desejo e nada mais. Das saídas fúteis mas “ele ta pagando”. Céus, o que eu to fazendo? Como vim parar nesse mundo tão só e cada vez mais vazio até mesmo de mim?

Falo pro twitter e ninguém me responde. Também, como essa vida poderia ser interessante? Daí minha mãe ainda diz que não sabe o porque meu estômago ta em 2/3 corroendo-se com essa gastrite. Como disse o médicogênio é gastrite nervooooosa mãe, não é pela minha alimentação infantil!
Sim porque eu estou aos nervos. Minha vida empacou. De um dia pro outro ela decidiu não andar mais, atrair enroscos e me encher de prejuízos. É notebook que pifou, celular que parou, nextel que não chega, praia que não rolou.
ACORDA, eu tento gritar. Você precisa ir atrás de algo/alguém/alguma coisa que seja sua, que seja você. Não adianta, teu ex não vai voltar, esse galinha não vai mudar, o outro não vai se aproximar, aquele lá não vai te visitar, este aqui não vai largar a namorada pra ficar com você, teu novo amigoperfeitoefilosofo não vai te namorar. Não. Eles não estão se permitindo ter mais do que uns instantes da tua atenção. ACORDA! Em que momento eu deixei isso acontecer? Em que instante passei a não valer mais nada e em ter medo de valer alguma coisa e ninguém mais querer?

Se eu colocar silicone melhora? Se eu voltar a cantar fica bom? E se eu emagrecer um pouco? Comprar roupas novas? Renovar as bijouterias?

Não. Porra nenhuma vai ficar boa porque eu não estou de bem comigo caralho. Custei a descobrir mas ta. Ta tudo aqui. E faço o que com essa merda toda?

sábado, 5 de dezembro de 2009

. Cuidada .



Todos dizem para eu não me apaixonar por você. Eu me faço de desentendida, mas escuto.
Você me diz palavras bonitas, me dá carinho, atenção, paga a conta com orgulho e faz quase tudo por mim. Se arruma, fica cheiroso, me busca, me leva e quase não me cobra nada. E quando eu vejo estou te cobrando o almoço durante a semana, os sábados que não saímos, que você vá comigo assistir a peça dos pirralhos da minha amiga... Meu Deus, nem pareço aquela menina que até cinco minutos atrás queria achar um buraco para se esconder porque não agüentava mais tanta futilidade. Sim você é fútil, materialista, consumista, exibicionista e tudo mais. E já tinham me dito isso, mas eu precisava te conhecer para te avaliar.
Hoje eu entendo porque aos 29 anos você ainda não largou a vida de balada. Se não for sobre ela e tuas viagens de aventura, pouco assunto nos resta. Mas seria muita burrice minha dizer que mesmo te odiando por todos os defeitos que você possui e eu repugno, de alguma forma surge um sorriso atrás da tela quando chega mensagem tua ou é você me ligando?
Mesmo não acreditando em uma palavra que você diz, eu não posso negar que até hoje você sempre cumpriu o que disse e nunca me deixou na mão, é burrice então suspirar ao bater a porta do carro?
Mesmo com tua panca de conquistador, você nunca sumiu, deixou de me ligar ou me fez te ver com outra, e ainda, mesmo sabendo que eu possivelmente não resistiria a você, você nunca me forçou a nada, ou se aproveitou de mim, pelo contrário, os nossos carinhos são tão puros, zelosos e gentis, seria então burrice minha achar bonito tanto cuidado? Seria burrice fechar os olhos ao receber teu beijo tão doce na minha testa e te ouvir me chamando de pequena?
Seria burrice dormir leve depois de receber tua mensagem de boa noite e cantarolar sentindo teu cheiro em mim?

Por enquanto tuas qualidades encobrem teus defeitos e isto por ora me basta. Eu acho que posso estar ficando um pouco burra e dependente e carente e sorridente.. Mas há tempos não era tão bem cuidada.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

. Alerta vermelho .




Depois de uma balada onde você me deu rosas cor de rosa, foi só meu (até onde eu me lembro) e me fez chorar por algum motivo que eu nem sei, achei que era nosso fim. Ou melhor, o fim dessa coisa que eu nem sei se existe.
No dia seguinte, apesar de se dizer com saudade você não me vê. E eu não quero nem sentir o teu cheiro. Pelo que sei quando é você é sempre bom manter distância entre um encontro e outro, se não a chance que eu tenho de ficar esperando um dia você me buscar de pijama é muito grande.
E hoje, segunda-feira, você (que já tinha me avisado do aniversário do seu amigo), como bom namorado de mentira ou amigogalinhaegostosoecachorro (rs) motorista que é, ao saber que eu não poderia te acompanhar devido a uma prova que eu perdi (onde ando com a cabeça?), me leva as 7 da noite até a faculdade que é em outra cidade para fazer a prova que o professor esqueceu de levar. Bom ou não, você, mesmo tendo acabado de sair, volta buscar eu e minha amiga. Disse que iria passear no shopping e comprar presente pra mim enquanto esperava, e eu que fiquei sem presente, finjo que acredito.
Um amigo de uma amiga de outra amiga te contou que eu chorei no sábado, no final da balada. Percebi mesmo que você estava estranho. Perguntaram ainda para você o que você tinha feito para me deixar daquele jeito. Você ficou estranho por que está com medo que eu me apaixone e você me faça sofrer? Eu também... Mas fique tranqüilo porque no sábado eu garanto que foram as vodkas, os wiskys, energéticos e a maldita tequila que me fizeram chorar lágrimas de crocodilo. Ultimamente só elas.Você tem me deixado mais fria, contrariando a minha amiga que disse que eu ando mais calorenta depois que te conheci.
Pela primeira vez você disse repetidas vezes o quanto eu estava linda. Mas não foram suficientes para tamparem o buraco que eu quis cavar quando chegamos ao aniversário. Eu conhecia um ou outro e me sentia a mais feia de todas as mulheres lindas e siliconadas do lugar. Isso me faz questionar o que você vê em mim.
Eu sei que sou um exemplo de namorada “perfeita”, que sou legal com teus amigos, tento me arrumar quando vamos sair, atendo tuas ligações e sou carinhosa, mesmo que as vezes os carinhos sejam forçados. Mas eu não sou assim. Eu não sou eu com você. Hoje percebi que nós não temos assunto. Apesar de gostar muito da sua companhia, eu não tinha nem o que falar com você. Queria sumir, correr, sair, pedir socorro. A cada pessoa que vinha nos cumprimentar e soltava “que namorada linda!”, eu queria uma faca no meu peito. “Por favor, pelo amor de Deus, vamos embooooora”.
O aniversariante, amigo querido, era o mais feliz em ver nós dois juntos. Só ele. Todas as mulheres queriam me matar, os homens me comer com os olhos e os velhos falavam “Será que agora ele engata?”. Sua melhoramigalindaerica deve me odiar. Deve não, eu tenho certeza que odeia. Me olha como se dissesse “O que você faz aqui?”. E eu me sinto mais baixa que o subsolo do chão.
Sinto como se não pertencesse a esse teu mundo leviano demais. Ficava pensando o que estava errado. Porque eu não tinha uma maldita idéia para puxar assunto. Minha barreira, que me segura para não gostar de você, me deixou também calada. Está fazendo com que eu me afaste e te afaste de mim. Será alerta vermelho?
Para terminar a festa o amigo querido solta “Quem tem namorado cuiiida!” Pois é. Se você fosse meu namorado talvez eu pudesse cuidar melhor de você. Se você fosse meu namorado talvez eu pudesse beijar mais você. Talvez eu pudesse te ligar mais, me declarar mais além de um “obrigada, a noite foi boa”. Talvez eu pudesse até ter mais assunto. Talvez eu pudesse ser eu. Ou talvez, se eu pudesse gostar de você tudo fosse diferente...

“Medo ou amor? A escolha é sua e cada segundo de sua vida lhe perguntará isso.”

(Victor Chaves)

domingo, 22 de novembro de 2009

. Domingo cruel .



Das 80 músicas presentes no meu pen drive que acabei de botar no notebook, apenas consegui ouvir uma inteira. Não tive paciência para o som que soa como grito das outras.
Grito este que fala por mim e nem eu mesma tenho me suportado. Um grito triste, melancólico e porque não um pouco agoniante, como quem pede por socorro mesmo sabendo que não terá um salvador.
Meu quarto, que foi arrumado ontem, encontra-se de ponta-cabeça. A roupa da balada ainda está na cadeira que também tem outras que eu experimentei e, como sempre, não ficaram boas. No chão meus urss de pelúcia, fruto de namoros passados, experimentam o gosto da solidão e de serem simplesmente jogados sem provocarem qualquer lembrança em mim. No chão também umasalmofadas coloridas que tentam desesperadamente, assim como minhas unhas rosas, darem um pouco de cor pra minha vida que anda assim.. cinza (que não é preto nem branco). Ainda, atrás da porta, estão meu violino sem utilidade que eu não fui atrás de vender nem jogar fora, uma bandeja para notebook que eu estou com preguiça de pegar e um quadro de rolhas para colocar recados que eu preciso tanto, mas que não arrumei forças para colocar na parede.
A cama desarrumada com dois telefones que não tocam, um celular que parece um bicho morto, uma calcinha para dormir e uma pessoa com o computador no colo, a coluna torta, a roupa do dia todo que está sem vontade de tirar, digitando enlouquecidamente no desespero para encontrar, quem sabe escrevendo, uma luz que a ajude a seguir em frente, a andar para frente, a enfrentar uma nova semana que é sempre tão igual a anterior com um mínimo de dignidade.
Essa mesma pessoa tem quatro provas na semana, para as quais ainda não estudou e precisa de nota. Precisa tomar banho e não consegue levantar da cama. Precisa arrumar o quarto onde em todos os cantos que ela olha não se encontra. Precisa depilar a sombrancelha, bolar uma nova dieta, fazer as unhas do pé e procurar a roupa para amanhã. Mas não consegue porque que incentivo tem? Pra ela assim ta bom, amanhã eu vejo a roupa, daqui a pouco eu tomo banho e emagrecer? Bom melhor decidir a viagem de ano novo antes para ver se vai ser necessário mesmo. Não tem ninguém que vai vê-la nua ou de lingerie para quem ela pudesse se cuidar e se exibir.
A internet cai a toda hora. Cai e volta. Sem dar tempo nem de postar alguma coisa ou pesquisar alguma foto para colocar no post. Cortando qualquer coisa que seja contínua demais a ponto de cair na rotina. Quase como a pessoa que está tentando conseguir manter uma conversa que tenha começo, meio e fim no MSN.
Por mais que eu queira fingir que não entendo, achar que não sei qual é o problema, não tem como. Eu sei o que é, exatamente onde está e não, não sei como resolver. É essa falta de alguma coisa. Esse vazio de não sei o que. Essa vontade de comer um prato que ainda não conheci. Essa loucura em querer pular, saltar, de alguma forma sorrir simplesmente por encontrar isso que ainda não tem nome.
Falta-me alguém que será meu mundo por simplesmente existir e permitir com que eu durma tranqüila mesmo nas noites mais escuras e sombrias.
Falta-me alguém que me ajude a encarar esses dias chatos e frios. Porque eu cansei de ter que enfrentá-los sozinha ou com a ajuda de um ou outro step que às vezes supre essa falta por umas horas,que funcionam como um remédio pra dor que dentro de duas, três, algumas horas perderá o efeito e fará com que a dor volte.

Chega. Por favor. Alguém avisa pro cara que canta “How to save a life” que eu ainda não arrumei um jeito pra isso e que ele gritando no meu ouvido não ajuda. E ainda pro outro que berra “Never to late” que sim, já é tarde pra qualquer coisa e que eu quero desistir e jogar a bandeira branca. Os domingos sempre são deprimentes mas hoje ele está especialmente mais cruel.

“E eu continuo andando por aí, em pé com minha tristeza. Mas minha sombra está de lado, deitada no chão. Talvez porque assim esteja minha alma. Talvez porque isso seja viver, para quem é de verdade, para quem pensa um pouco, para quem sente um pouco, para quem lê jornal de manhã.”
(Tati Bernardi)

. . .



Quanto que a gente precisa gostar para namorar? E pra casar, ter filhos?
Quanto tempo eu preciso esperar para poder ligar pra ele? E pra dar pra ele? E pra ele conhecer minha família? E a partir de quanto tempo eu posso fazer cobranças? E pra ficar com outro depois que terminar com ele? E quanto tempo eu preciso para dizer ‘eu te amo’? E ‘eu não te quero mais’? E quanto tempo leva para esquecer aquele que a gente achava que era para sempre?
E quantos vão precisar passar pela minha vida para eu encontrar o príncipe encantado?
Quanto tempo leva para amadurecer? E para ganhar dinheiro? E quanto é dinheiro suficiente?
O que é felicidade, quanto ela vale e quanto demora pra chegar?
Quantas desilusões aguenta um coração?
E como acabar com a saudade?
Com quanto tempo começa uma amizade? E como saber quem é amigo de verdade?
De quantos abraços eu preciso para me sentir melhor?E quantas lágrimas eu vou ter que derramar pra entender que é impossível tudo dar certo sempre? E quanto tempo leva para voltar a confiar nas pessoas? E se eu não confiar nunca mais?
Quanto preciso deixar de comer para emagrecer? E quanto tempo vai demorar para juntar dinheiro pro silicone?
Quanto tempo leva para curar as feridas? E quanto tempo leva para morrer? E para superar a morte? E em quantas coisas a morte pode colocar fim? Só à vida, ou a vida continua depois da morte?
Quanto vale o perdão? E uma memória fraca?
Quanto tempo preciso para me acostumar com as facilidades banais de hoje em dia?
Quanto tempo eu preciso dormir para descansar? E quanto tempo eu tenho para realizar tudo que eu quero?

... para o tempo, para as perguntas e para a vida, não há explicação. O tempo passa depressa, não tem volta e nos mata um pouco a cada dia. As perguntas sempre existiram, existirão e são intermináveis e impossíveis de serem respondidas com exatidão. E a vida.. Bom .. A vida é eterna e só nos resta vivê-la da melhor maneira que pudermos.

“Um dia, é só o que eu quero, eu vou ficar quieta e entender tudo. Quer dizer: eu vou é querer abrir mão de entender tudo”
(Tati Bernardi)

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

. Namorada de porcelana com chifres de brilhantes .




Eu tenho me divertido! Estou achando super engraçada essa história de brincar de ser namorada dele. Ele liga pra dar bom dia, boa tarde, boa noite. Pergunta sobre as minhas provas, meu estágio. Me leva ao teatro, no cinema, no sorvete.Dá abracinhos e nossas mãos já se acostumaram, se encontram sem a gente pensar. E ainda ganho cafuné e beijos na testa. Ele compra o copo do cinema que eu gostei. Me leva para ver o filme que eu quero em outra cidade já que aqui os ingressos se esgotaram. Acha graça quando me vê maravilhada com os enfeites de natal. E aproveitando que estamos no shopping já me avisa que semana que vem ele vem comprar roupas e quer que eu venha junto. E só me resta rir. Como quem ri pensando onde foi parar a cabeça. Em que momento eu assumi o papel de namorada de aluguel e gostei do negócio. Ele quer me ver todo dia, no almoço, no lanche e na janta. Mas eu não. Ele combina programas com casais amigos e parece feliz. Mas eu desmarco.
A toda hora sinto como se estivéssemos interpretando um casal perfeito e isso por vezes me enche. Porque eu sei que não passaremos daqui. Como se eu quisesse.. É o que todo mundo que vê pensa. Mal sabem que eu nem sou apaixonada por ele e que assim que eu sentir que a coisa amizadecolorida ta mudando serei a primeira a pular fora. Não por ele. Ou talvez, só porque é com ele. Mas afinal, que mulher não gosta de ser paparicada?Eu até corto uns mimos que ele quer me dar. Eu to gostando tanto de poder ligar e ver a hora que quiser sem ter de dar nada em troca. Só uns carinhos, uns beijinhos e uns sorrisos. E claro, conselhos e blahs. Eu até gosto de ser a namorada de porcelana. Pronta e impecável quando ele quiser me exibir para os amigos. Ahn o perfume.. Tudo só existe por ele.. Por mais uma vez e cada dia mais ele se mostrar tão quase você. Até no jeito de me abraçar. Percebi isso ontem. Enquanto você me mandava mensagem e eu via um filme no cinema com ele.
O único problema disso tudo são as pessoas que acreditam que somos mesmo um casal. Pow a gente não se cobra fidelidade. Eu sei que ele pega outras por ai, mas sou eu a princesa. Do mesmo jeito que eu tenho meus rolos.. (tenho?) E eu nem ligo. Mas as pessoas.. Tem uma capacidade enorme em se importar com a minha vida. Já vem me contar o que ele fez ou deixou de fazer. Mesmo se por vezes ele nada fez. E não é inocência minha. Eu sei que fatos não deixam espaço para possibilidades, então o que foi, foi o que não, não poxa. Mal começou, se é que isso tem começo, meio e fim, e já estão me colocando chifres de brilhante no melhor estilo Lady Dai. Qual é! Uma pessoa não pode mais apenas querer se divertir?
Ele liga quase 11 da noite para me falar um oi e desejar boa noite. Vai para mais uma festa. Mas claro. Ele não me esquece e quer garantir a saída de amanhã. Às vezes a sexta-feira a noite são tristes para os solteiros. Então é ele quebrando meu galho e eu o dele. E, ao contrário do que ele esperava, eu desejo uma ótima festa e que ele aproveite. Ele fica mudo. Achou que eu iria reclamar ou que ficaria chateada por ele estar lá, só porque ele agora me conta tudo que vai fazer ou fez. E eu nem ligo. Ele pergunta se vou sair e para onde vou, já ficando bravinho. E quando digo que ficarei em casa, pronto! Sou tudo que ele sempre quis. Praticamente a mulher esperando o marido voltar do happy hour com os amigos. E eu nem ligo. Enquanto isso estiver me fazendo bem, que mal tem pegar o amigoqueridogalinhaegostoso de vez em quando?

...

Sexta-feira a noite. Costumava ser um pesadelo para mim, desde que fiquei solteira. Mas ele me ajudou. Me toquei que para não ter chifres de brilhante, precisa ser eu a colocá-los. Entre aspas né, já que somos apenas amigos coloridos. Mas então ele salvou a minha noite.. Porque ao invés de sair, eu vou badalar!

"Por hoje, deixo meus chifres de brilhante na estante.
Você não será o primeiro a colocá-los na minha cabeça!"

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

. Acordo, e nem me surpreendo .




Eu já estou tão acostumada com tuas promessas de amor eterno que nem me surpreendo. Meu coração aperta de saudade, o peito dói de vontade e eu nem me surpreendo. Os olhos ficam marejados, pareço um cavalo alado e eu já nem me surpreendo. Os segundos passam voando, minha conta aumentando e eu já nem me surpreendo. Faço você jurar que não me esquecerá, e você jura uma, duas, três, quatro vezes, como se eu acreditasse.. Você fala do desejo do meu abraço do meu beijo do meu cheiro e de toda essa coisa de outro mundo que somos nós dois e eu nem me surpreendo. Falo com você e te imagino com perfeição, como se te olhasse nos olhos.
E de repente, depois de me despedir e desligar meio na pressa para parar com todo esse sofrimento, acordo.
Estou sozinha no meu quarto. No meu mundo distante do qual você não faz parte, mas me impede de evoluir. E penso... Tá tudo aqui. Tudo o que eu preciso. E você não está. Você nunca está e mesmo assim eu tenho sobrevivido. Talvez você não seja mais condição da minha existência e talvez assim... seja hora de começar a aterrisar, esquecer nosso mundo e viver o meu, que só depende de mim para funcionar...

"Quando dói a ponto de você não poder respirar, você sobrevive.."
(Grey´s anatomy)

domingo, 15 de novembro de 2009

. Esse amor doentio .



Eu queria poder desligar o telefone e ir correndo até sua casa. Entrar, te abraçar, dar colo e fazer cafuné até você dormir.

Eu não sei.. Esse amor é quase como ter uma doença incurável. Da qual a gente não consegue se livrar, não quer se curar e quando surtamos e queremos um remédio, qualquer deles não é suficiente, sempre sobra um resto maior que a metade que no dia seguinte já vai crescer e voltar a ocupar o corpo todo.

O que eu poderia dizer para te animar? O que bastaria para colocar um sorriso no seu rosto? Daquele lindo, branco e feliz que você sempre me dá.. O que eu posso falar pra você quando sinto que sofre por mim? Eu não te faço sofrer porque quero... É essa distância doida que te trás, te tira e nunca te leva embora para sempre.. As vezes me culpo por não poder fazer mais.

Você faz vozinha de dor, dá um gemidinho daqueles que sempre dá prestes a desligar o telefone. Se despede. Eu te amo, eu queria ter dito. Mas você desliga antes de eu criar coragem e leva tudo de mim. O chão, a voz, as lágrimas e esse coração mundano que só sabe te amar. Desliga e leva a alegria de outrora. Me deixa sozinha no quintal escuro e estrelado, me perguntando o que tanto te entristecia. O porque do seu desespero em falar comigo naquela hora. Domingo oito da noite não é normal você me ligar. Domingo é dia de ficar com a namoradahorrorosaquevocênãosuporta. Você desliga e me deixa um aperto no peito, umas questões não resolvidas e só. Eu digo que esse amor é doentio, por que como é possível que eu me satisfaça e me sinta a pessoa mais feliz do mundo só com isso? Não dizem que a felicidade é tão difícil de ser encontrada e rara e cara? Como pode então a minha felicidade ser um telefonema triste numa noite de domingo, que me deixa sem nada depois?

Mesmo sem nada, eu ainda faria tudo para te dar esse nada de mim. Para te dar o meu resto que você ainda não consumiu. Eu daria tudo para te dar meu silêncio, minha fala bonita. Eu correria o mundo para te dar um pouco de fôlego para você continuar encarando sua vida tão difícil de me ter a qualquer hora e ter outras tantas que você queira. Eu daria meu ar se fosse preciso. Para te ver sorrir nem que fosse por um segundo a mais. Mas quanto mais eu quero te dar, mais o mundo e você, ou o mundo que é você, exige que eu o dê em doses homeopáticas. Você aparece por uma semana inteira. Me abastece. E depois some por outra semana, me deixando na espera de quando você voltará para me reabastecer e me dar um pouco de ar. Eu sei que não posso pedir nada e nem deveria. Mas se hoje, só hoje, você puder me ligar um pouco antes de dormir, quando você já estará sozinho, livre e pensando em mim, eu agradeceria imensamente. Por que hoje, só hoje, eu sinto, depois de sair com um amigocolorido que estava com teu perfume, que cada dia eu sou mais você, menos eu e um sonho de nós dois. Cada dia mais eu me vejo em você, deposito minha esperança em você. Por que se nada der certo ou se tudo der certo, você existe, é meu e o nosso amor doentio vai continuar como aquelas doenças que nos matam aos poucos mas nunca deixam a gente morrer pra sempre. E eu nunca vi uma morte tão feliz...

“Eu preciso respirar o mesmo ar que te rodeia
E na pele quero ter o mesmo sol que te bronzeia
Eu preciso te tocar e outra vez te ver sorrindo,
Te encontrar num sonho lindo...”

(Dia de domingo – Ana Carolina e Celso Fonseca)

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

. Dá e passa .




Sonhei com aquele menino bebê que um dia foi a razão da minha vida. Há tempos eu não sentia aquela felicidade que transbordava do meu peito ao tê-lo no colo. O meu sorriso era do branco mais puro e nós ríamos como quem não ria há décadas!
Estávamos cercados por pessoas amigas que nos queriam bem. E juntos.
Ao acordar eu entendi o desespero que o abateu quando ele percebeu que me perdeu. Hoje esse mesmo desespero me consumiu, levou o brilho dos meus olhos, silenciou meu coração e, por alguns lentos segundos, eu tive vontade de correr até sua casa e me jogar nos braços dele.
Lembrei do beijo e do jeito doce de me abraçar. Do calor do corpo quando fazia amor comigo. Lembrei dos suspiros ao me encarar e da alegria por me amar.
Enquanto escrevo e faço plantão, entra um cliente com o perfume dele. Olho na esperança de ser ele e não o vejo. A música no rádio é nossa trilha sonora.
Eu quero vê-lo, mas parece que não tenho hora para encontrar.
É só ele voltar a ligar feito louco que já me encho.. Porque é como dizem, vontade é como a saudade, dá e passa!!

´"Ele longe me dá saudade.. É só voltar que me tira do sério!"

(texto feito há uns domingos atrás num momento de carência e solidão)

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

. Cansada .




“Por que você não fala cara a cara,
Fica nesse passa que não passa..
O que falta é coragem!”

(Sinais de fogo – Ana Carolina)

Estou aqui em silêncio e sozinha, olhando minhas unhas minuciosamente pintadas de vinho. Nunca haviam ficado tão perfeitas. Olho para o vestido que havia escolhido, para os sapatos, para a maquiagem nova. Lembro da hidratação capilar, da esfoliação no corpo e da depilação geral.
Definitivamente um homem não sabe que um encontro não começa quando se toca a campainha vindo me buscar.
Existe uma fase pré-encontro. Uma preparação, um querer estar deslumbrante para vê-lo. Existe uma expectativa, uma ansiedade, que são interligadas com o tal encontro. Uma não tem razão de ser sem a outra.
Por hoje eu cansei desse caso nosso que mal começou.
Cansei de ter de falar todo dia com você, pensar em você, ser fiel a você e não te ter.
Cansei de temer sua recaída pela ex, de esperar seus sinais de fumaça para poder dormir em paz e de ver sua imagem a toda hora na minha cabeça.
Cansei de ter que sorrir com a saudade, de me conformar com o travesseiro e de não poder cobrar nada com medo de te espantar.
Cansei das mensagens diárias, que agora você manda como se não me lesse. Continua com os “tenho saudade” e “muitos beijos linda”, mas você não me lê.
Como posso falar todos dias com você, ter saudade e não poder te ver, te tocar, te beijar.. Pra que me enfeitiçar com seu beijo doce e tirar meus pés do chão se não me leva para voar?
Agora mais um final de semana se aproxima, mais uma vez sem você e eu já não sei mais o quanto posso aguentar. Rezo todas as noites para que você não me teste a ponto de me fazer ficar indiferente. Porque se isso acontecer, será uma única vez e você sairá do meu conto de fadas, tão ligeiro quanto entrou.
Eu não quero um amor virtual, por mensagens ou e-mails.. Não quero alguém para ver esporadicamente, beijar de vez em quando.. Isso eu encontro na primeira balada que aparecer.


“Eu estava em paz quando você chegou”

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

. Meu tudo .




Ela não precisa de nada para estar 24 horas ao meu lado. Não precisa que eu esteja bonita, arrumada ou perfumada. Não se importa se eu estiver de pijama, vestidinho de ficar em casa ou roupa de sair, desde que se sair eu leve uma blusa caso esfrie. Ela abre mão de tudo, se for para o meu bem. Ela é minha melhor amiga. Ela não gosta de me ver chorar, mesmo já tendo se acostumado com isso, não gosta da minha alimentação infantil e tem como maior objetivo na vida mudá-la. Ela se orgulha dos meus feitos, é a primeira a me abraçar e parabenizar quando algo sai bem, mesmo ela já sabendo que seria assim. Ela paga as coisas que quero comprar com meu dinheiro a vista, e depois parcela para mim, para que eu não tenha que dar as calcinhas na loja. Ela me carrega no colo se for preciso. Abre mão de qualquer compromisso para me aconselhar e dar carinho. Ela é sempre a primeira a pensar nas minhas necessidades, e faz isso melhor do que eu mesma. Se meu coração está partido, ela pacientemente vem com uma colinha especial que fez com todo amor que possui, e junta, pedacinho por pedacinho, devagarzinho e perfeitinho, para que não restem cicatrizes. Se estou doente, ela é sempre otimista. Eu já fico imaginando que irei morrer, como será meu velório e quem irá. Enquanto ela vai estudando todas as coisas mais tolas que pode ser. Se acho que estou ficando cega, ela chuta uma conjutivite. Se acho que preciso de um transplante de rim, ela diz que é apenas dor na coluna. Se acho que é coração fraco, ela fala que é apenas uma virose, devido a minha imunidade baixa. E ela sempre acerta. Quando fico triste ao chegar no pronto-socorro, ela me anima contando das aventuras que já passou num hospital e até faz amizade com o enfermeiro negão, gordinho, mas que tem a mão leve como uma pena ao picar meu bracinho para colocar o soro. E nas duas horas e tanto que ali fiquei, ela me fez gargalhar relembrando fatos cômicos da nossa vida, e ninguém naquele pronto-socorro tinha visto alguém tão feliz por estar ali. E quando eu durmo, devido ao soro, ela não tira a mão da minha para me dar segurança, sabendo que ela está ali, mas ora, eu nunca duvidaria disso! Ela é feliz de estar onde eu estiver. Mal sabe ela que a maior felicidade da minha vida é estar na dela. Qualquer um que na dela estiver deve considerar isso como um presente divino. Para mim ela é Deus na Terra, porque está em todos os lugares! Ela é meu alicerce, meu braço direito, a metade da minha laranja, a tampa da minha panela e todas essas coisas que nasceram para se encaixar e para viver em função uma da outra. As vezes complico essa vida, procurando explicações para tudo, querendo sempre mais, procurando um caminho ideal para seguir, e mal percebo que eu já tenho tudo o que preciso bem aqui. 24 horas e pela eternidade, porque uma vida é pouco para nós. Afinal, com uma mãe dessas eu nada mais posso querer!

"Ela une as quatro estações
Une dois caminhos num só
Sempre que eu me vejo perdido
une amigos ao meu redor

Talvez ela saiba de cor
tudo que eu preciso sentir
Pedra preciosa de olhar !
Ela só precisa existir
para me completar.."

(Ela une todas as coisas - Jorge Vercillo)

sábado, 31 de outubro de 2009

. o outro que é você, você que era o outro .



E quando eu dou por mim, estou apagando as mensagens de outras pessoas do meu celular e só deixando você. Como se hoje você fosse meu objetivo maior, e eu não fosse sossegar até te conquistar..
Hoje queria ter feito uma loucura, ir te ver como quem procura uma cura.. Mas tive medo de você, como o outro (e em que momento ele se tornou o outro?), se acostumar mal, e sempre ser eu a ir te encontrar.. Ao mesmo tempo, tive medo de te perder, para a ex ou para outra que surgir, de perder essa chance de ser feliz. Mas daí lembrei que a distância entre eu e você é a mesma e você também poderia ter vindo e no entanto não está aqui... E o seu medo de me perder deveria ser maior. Então decidi te testar e sumir.

Um dia sem mensagens minhas não é bom para você. E é quase uma morte para mim. Eu não podia crer que hoje passaria sem notícias suas, sem um durma com Deus ou um sinto sua falta..
A noite, você manda mensagem feito louco, perguntando se te esqueci. E será que isso seria possível? Eu respondo e conversamos.. Algo me barra. Você é super carinhoso no jeito de escrever, mesmo tendo passado o dia se segurando para não me procurar, e quantas não foram as vezes que escrevi uma mensagem sem enviar, perde a timidez e se declara para mim. É sincero eu posso sentir. Mas não consigo acreditar. Esse amor é tão parecido com o outro. E eu já criei defesas para não sofrer. Eu queria acreditar em você, mas não consigo. Tenho medo de estar com ela e não comigo. De falar coisas bonitas para me fazer sonhar. De querer casar e me deixar sozinha no altar...

"Não sei se eu saberia, chegar até o final do dia, sem você."
(Tudo sobre você - Zélia Duncan)

. Ligação, cama com você .



Você liga. Me acorda. E automaticamente sou eu de novo. Meu mundo. Nosso mundo. Posso dormir em paz. Meu sonho está aqui. Você existe, é meu e eu sou tua, nossos olhos não conseguem negar. Eu te sinto ao meu lado na cama, sussurando baixo perto da minha orelha como você gosta de fazer. Apesar da cama estar vazia de você, do seu corpo, o meu corpo é cheio do seu. E isso basta por hoje. O mundo gira na sua rota. Tudo se encaixa e eu te tenho de volta, mesmo sabendo que você nunca partiu.


"O que era certo eu aprendi a sempre questionar."
(Abri os olhos)

. EU TE AMO .




Eu sabia que você não responderia minha mensagem... Mas poxa, primeira vez que eu falo que te amo, com todas as letras, e nem assim?
Eu te amo é muito pesado. Tanto quanto se eu dissesse que estou morrendo.. Talvez assim?
Apesar que te amar e morrer da quase no mesmo. A morte real um dia vem e te amar é como se eu morresse um pouco a cada dia, mas na certeza de que esse amor não acaba e você nunca chega!

(p.s. quando eu digo que não posso deixar de acreditar, por mais quevocês não entendam, eu tenho razão. Um minuto depois de fazer esse pequeno revoltado post ele respondeu do jeito mais lindo que poderia... Com um eu te amo no final!)

"Se você prefere a vida quando se morre um pouco por alguém, permita-se."
(Tati Bernardi)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009






“Eu não tava nem pensando, mas você foi me pegando
E agora não importa aonde va..
Me ganhou vai ter que me levar..

Você me vê assim do jeito que eu sou, e faz de mim o que bem quer
Eu que sei tão pouco de você,
E você que teima em me querer..”
(Entreolhares – Ana Carolina)



É você dar um espaço e a minha insegurança volta toda. Aperto no peito, medo. Engraçado o que ele, que não é você e é o amor da minha vida, consegue fazer comigo.. Não consigo mais, no auge da minha inocência, acreditar que um amor a distância pode dar certo e que nem todo homem me tem como segunda opção. Fico desconfiada, não acredito nas tuas palavras sinceras de paixão. Fico pensando quando é que vai chegar a hora em que você some e me deixa morrendo de dor. Fico me perguntando até onde vai, até quando vai e se vai dar certo um dia. Sem querer não vejo que já estamos dando certo sem saber.
Você manda mensagens lindas. Me dizendo o quanto sou maravilhosa, o quanto sou a mulher que você quis e o quanto quer ser meu marido daqui dois anos. Eu falo com tanta certeza que vou me casar assim que me formar que até você acreditou...
Construo uma barreira grossa e invisível que me permita manter os pés no chão. Sem querer crio uma realidade cruel, onde não posso ser feliz. Não posso sonhar para alguém vir um dia e destruir tudo. Eu não quero mais isso.

A tarde passou tão rápida com você e que eu já nem lembrava que acabamos de nos conhecer. Os dois meses que trabalhamos juntos, me permitiram ver tua beleza e teu jeito doce de lidar com a vida dura, mas não me deixaram ver a pessoa tão maravilhosa que és.. E de repente eu já estava ali te contando minha vida, minhas aventuras e as mil habilidades que você descobriu. E já nem pareço aquela garotinha indefesa e tremendo que saiu da casa do cunhado para o carro de um desconhecido que de alguma forma a deixava nervosa. Não sei se pelo perfume bom demais, pelas mãos macias ou pelo beijo suave.
O tempo passa como ventania sobre nós e eu não quero te deixar. O abraço é como um cheio que falta muito para transbordar. Falta muito para eu me encher de você. Por ora eu quero mais e mais e mais..
E você me deixa essa saudade louca que me sufoca. E esse nó no coração só de te imaginar mais perto. E quando vejo já estou aqui sonhando com você e contando os dias para te ver e fazendo planos e me entregando e decorando uma música pra te cantar e agarrando o travesseiro e suspirando fundo e meus planos voltando e nada mais importa e eu só quero você, sem muros grossos e invisíveis.. Quero você aqui, agora.

“Vai delirar de amor, sentir o meu calor, vai me pertencer..
To afim dos teus segredos, de tirar o teu sossego...
Permita sentir, se entrega pra mim..
Minha alma viajante, coração independente, por você corre perigo..”

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

. Cinema .






Na tela do cinema, um casal, com doença terminal, se ama com a pouca força que possuem mas com tudo que são. Na platéia. Todos choram, admirados com tamanha beleza de uma verdade tão sincera. No mesmo lugar estou eu e o amigoqueridogalinhaegostoso. Ele pega a minha mão, faz carinho e dá beijinho na minha testa. E eu penso se toquei o coração dele com o filme. Assistimos até o final, abraçadinhos como um casal. Quando o “the end” aparece, ele suspira fundo e solta algum reclame sobre o filme que escolhemos. De uma forma ou de outra ele foi atingido mais do que gostaria. Na hora de sairmos, ele me dá a mão e me abraça como quem quer proteger. Como quem está feliz por não ter visto o filme sozinho. Eu sorrio e suspiro fundo. Ele é tão quase você...
Ele me leva para passear na cidade, me fala sobre a avó que faleceu (está explicado a tristeza do filme), pergunta se estou com fome e, diante da minha negativa, me leva para casa. É domingo e amanhã acordamos cedo. Ele para, desliga o carro e me abraça. Mesmo com uma mão quebrada ele consegue ter o abraço bom. Não tanto quanto o seu, mas eu estou tentando me conformar com o que “tenho”. Sem querer nos vimos cara a cara. E eu posso sentir o hálito dele tão suave e quente mais perto. E minha boca se dirigindo para aquela involuntariamente. Quando dou por mim, acabou.
Acabou o beijo e o meu desejo. Ele não é você. Não tem o imã que me atrai e não me deixa sair, e nem a força brutal com que você me beija.
Falo boa noite, agradeço pelo cine e vou quase correndo para casa. Um misto de sentimentos me deixam desnorteada. Me sinto como uma culpada por traição, um medo de rejeição, uma pitada de ‘faltou’ mais, quero mais ou não quero nunca mais.
Vou dormir crente de que meu celular nunca mais vai tocar com o nome dele ou alguma mensagem. Por um lado isso me pareceria normal e familiar. Você que é você tantas vezes ficou sem me ligar...
Mas para minha surpresa logo chega uma mensagem de boa noite, obrigado e um adorei no final. E eu respondo sem a menor empolgação. Ele definitivamente não é você...

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

. Só para mim .




Nunca te cobrei promessas ou juras de amor. Você as fez por livre e espontânea vontade, eu nunca precisei delas para estar ao seu lado. Se me der um sorriso lindo, um abraço forte, um beijo quente e olhares apaixonados, eu fico. Para me ter não é preciso muito. Se for você, não é preciso nada. Apenas braços abertos. Dizem que o amor precisa de dois, hoje meu desespero é tamanho que seria capaz de amar por nós dois. Mesmo sabendo que talvez não durasse, que talvez não fosse o melhor. Pior seria viver sem o meu conto de fadas. Pior seria perder todos os meus planos que fizemos para nós dois. Eu nunca te pedi um casamento, mas desde o primeiro dia você me deu ele nos mínimos detalhes. Eu nunca pedi um terreno, uma casa grande que construiríamos juntos, você é que me deu eles de bandeja. Nunca pedi que dissesse o quanto me adora, o quanto sou o que você sempre quis, você disse porque assim desejou.
Talvez então a culpa seja toda sua. E não há porque me culpar achando que não dei o melhor de mim. Eu não precisei prometer nada para te dar tudo o que sou. Todo o amor que sou. Eu não precisei do teu sexo, para te dar meu corpo. Não precisei da tua fidelidade, para ser só tua. Não precisei do teu elogio, para te dar minhas qualidades. Não precisei ver o teu carro bom, para voar com você.
Agora, pelo amor de Deus, por todo esse amor que você diz ter no peito, vem para mim, e vem correndo, porque eu já não agüento esse mundo vazio da sua presença, já não agüento essa fome de você, esse sonho em te ter e o desejo de te ter inteiro, único, perfeito e lindo só para mim.

. Morro de saudade .






“Morro de saudade quando você some, dá uma vontade de gritar teu nome”

Domingo. Tempo de sumiço: 3 dias e meio. Humor: praticamente uma represa jorrando. Coração: uma solidão nunca experimentada antes. Amigos: “casados”, viajando ou me abandonaram (literalmente). Físico: 1 quilo a menos, sem fome ou vontade de comer. Mental: enlouquecendo. Trabalho: quanto mais melhor, “mente vazia oficina do diabo”. Auto-estima: quase alcançando o magma da Terra. Recados no Orkut: 3. De homens. Importância? Mínima. Mensagens para serem respondidas no celular: 0. Ligações perdidas: 2. De homens. Diferentes. Um me ama e me perdeu e o outro quer me pegar. Importância? Mínima. Saídas do final de semana: um cinema+bar e cama (sozinha); um sorvete com minha irmã no sábado a noite e cama (sozinha outra vez). E para hoje? Sem planos. Sonhos perdidos: 1. Sonhos a se realizar: todo o resto. O mais importante? O perdido. E aprendo que tudo é uma questão de valor que se dá. Se eu tivesse dado um valor menor à você, hoje doeria menos te perder. Plano de vida: vazio. Localização mundial: perdida. Vontade de beijar: 60%. Vontade de beijar qualquer um: 0%. Vontade de amor: 100%. Vontade de amor com qualquer um: 1%. Vontade de abraço: 100%. Vontade de ligar para você: 100%. Ligações para você: 1. Retornos: 0.

“O meu cantar é mais bonito quando é triste.
É triste quando é você.” (TP)

“Mesmo estando ao seu lado,
Me sinto só, estou na solidão”

(João Bosco e Vinicíus)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

. Quase você .






Sexta feira a noite. Acabo de chegar em casa. Junto comigo estão, meu celular, meu notebook onde escrevo e você. Claro, você está por todos os lugares. No papel de parede do computador, no toque do celular, no meu coração e aqui na cama. Ao meu lado, nos meus sonhos.
Se Greg (nosso amigo querido) me visse neste exato momento ele diria: “Eu avisei”.
Sim, e não foi por falta de aviso. As placas e os outdoors da cidade toda gritavam “Pare, enquanto consegue”. Mas eu, com esse meu instinto de que vou conseguir mudar o mundo e salvar os homens, insisti. Sempre em frente, avante eternamente. E não desistir jamais. Claro, porque um homem que muito sofreu precisa de alguém que o ame como nunca para voltar a acreditar no amor e voltar a ser o príncipe que era.
Acabo de chegar de um cinema seguido de uma ida rápida ao bar com dois amigos. Uma mulher e um galinha. Não há no mundo melhor homem do que os galinhas. Eles, na tentativa de te conquistar, ensinam todos os truques, contam todas as artimanhas que já usaram, gritam na sua frente “NÃO FAÇA ISSO”. E você acha bonito, tem dó, afinal de contas ele é assim porque foi ferido, merece encontrar a tal alma gêmea. Ele até tem planos de se casar e tudo. E novamente a placa “NÃO, ELE NÃO VAI MUDAR, ELE SÓ QUER VOCÊ PARA SER MAIS UMA HISTÓRIA ENGRAÇADA QUE VAI CONTAR PARA A PRÓXIMA QUE TOPAR UM CINEMA E UMA BOA CONVERSA NO BAR”. E nada adianta. Sim, porque a verdade nua e crua é tão cruel, que não queremos ver. Simplesmente ficamos tão inconformadas com o que nos é dito que não queremos acreditar. Como é possível que o cara que te manda flores, faz planos com você, ama você como nunca, desapareça da noite para o dia?
Queridas, NADA do que você passaram até hoje se compara ao que meu amigoqueridogalinhaegostoso já aprontou. NADA. Isso me trouxe um reconforto, uma sensação de alívio, de agradecimento em pensar “Ta, ele aprontou, mas pow não foi nada perto do que esta passou”, e ao mesmo tempo um desespero. Sim, não há desculpas, é tudo real. Ele some porque quer se vingar, porque não gosta. Um cara que gosta vai até a China, te manda buque de flores sem porque. Seila o que um cara que te ama é capaz de fazer. E até me questiono se eu quero ao meu lado um cara que me ame, porque parece que se ele não me amar eu vou gostar mais. E vou aproveitar mais. E me entregar mais. E sofrer mais, e que graça teria a vida sem sofrimento? Eu já nem me incomodo. Estranho seria se você não sumisse. Se não me iludisse. Estranho seria se você me ligasse no dia seguinte.
E apesar da noite cheia de descobertas e de bocas abertas por tamanho absurdo, quando ele (o tal amigoqueridogalinhaegostoso) vem me deixar em casa e tenta me beijar, eu não posso negar, que minha vontade era me entregar toda. Assim, como quem nunca ouviu nada do que ele aprontou. Mas eu me seguro. Falo boa noite e desço do carro. Batendo a porta forte para não ter que voltar e fechar direito, e me enroscar, e cair para dentro do carro de novo. Bato, beijonãomeligue. Ele já mandou mensagem de boa noite como bom “puritano” que é. E amanhã ele vai ligar. E eu vou sair com ele, na tentativa de te esquecer um pouco, de curtir. Mas só vou sair porque ele se parece com você. O jeito, o olhar e o cheiro. Só não se parece mais porque você é puro e ele é fera ferida desiludida. Ele é beijo desconhecido. Ele é teu perfume, tua voz, teu jeito doce de me atender no celular. Ele é teu jeito de dirigir e de apertar minha mão. Ele é quase você. Só não se parece mais porque você é meu passado, meu presente e meu futuro e ele é apenas um furo na sola do meu sapato que não me permitirá andar até experimentar. E sofrer, e chorar..

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Eu te amo e ponto final.




“ Vence quem passa por essa vida rindo. E se o preço que se paga por ser um pouco feliz é ser um pouco idiota, dane-se.”

E o que seria do amor se não fosse um pouco bobo, um pouco orgulhoso, um pouco paixão, um pouco paciente e demasiadamente louco¿
E o que seria da vida sem o amor?
Bem sei as voltas que o coração dá.
Num dia o odeio. No outro o quero mais que tudo.
Depois de viajar quilômetros, de passar dias sonhando em vê-lo e de finalmente estar perto, um simples mal entendido desencadeia uma briga, meu choro e uma dor de me tirar o ar por dias. Sendo um casal de bicudos, ficam os dois em casa alimentando aquela mágoa com um pingo de saudade intensa, sem “abrir a guarda”.
Eu cedo, ele cede e nos vemos. Gritaria pra cá, tapas pra lá (eu bati nele mesmo) e tudo termina com um “PÁRA O CARRO AGORA!AGORA!”. 10 segundos depois estamos os dois como um só. Afinal, é ele, é o cheiro dele, a boca dele, o corpo dele, e ele é todo meu!
Eu lembrava do beijo (e como poderia esquecer?), mas estava mais doce, mais bruto, mais apaixonado e exalando saudade. E de repente somos nós dois, a escuridão (que não me assustava, uma vez que eu já tenho a minha luz) e o som. E eu perdendo os sentidos e querendo mais e mais e rezando para nunca acabar e me entregando, e recebendo, e sonhando e vivendo...
O mundo podia parar ali. Eu, ele, envolvidos num abraço apertado, num beijo estalado e com o corpo suado. O amor é calor, é sede, é coragem. Amor não tem tempo, mas tem pressa em acontecer. Mesma pressa que ele, ao me contar dos planos de vender o carro, comprar outro mais simples e investir num terreno pra gente. Pressa tem aquele brilho nos olhos quando imagina a nossa casa, a nossa família. Pressa tem aqueles braços em me terem por perto e permanecerem assim até a eternidade. Pressa em me ter de novo, em garantir a minha volta no final do ano. Felicidade tem ele em me mostrar para os amigos e para quem quiser ver.
E qualquer medo é pequeno, e qualquer mágoa desaparece e nada mais me resta do que aproveitar cada segundo como se último fosse e amar este homem, como sempre, como nunca, para sempre.

E ele ainda cantou baixinho:

“Ai que saudade me dá
De sentir o seu cheiro
E ganhar o seu beijo
Ai que vontade me dá
De ficar do seu lado
Ganhar seu abraço
Ai que saudade me dá!!”

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

I hate this part!




"Estamos dirigindo devagar pela neve na 5° Avenida
E agora, o rádio é tudo que temos para ouvir
Não nos falamos desde que nos separamos,é tão ultrapassado
Está frio lá fora,mas entre nós está pior aqui

O mundo desacelera
Mas meu coração bate rápido agora
Eu sei que esta é a parte
Em que o fim começa

Não posso continuar com isso
Achava que éramos mais fortes
Tudo que fazemos é ir levando
Escapando de nossos dedos
Não quero mais tentar
Tudo que nos restou foi o adeus
Para encontrar um jeito de te dizer

Eu odeio essa parte
Eu odeio essa parte
Não posso suportar suas lágrimas
Eu odeio essa parte

Todos os dias, sete vezes a mesma velha cena
Parece que vamos ficar sempre na mesma rotina
Preciso falar com você agora antes de irmos dormir
Mas você irá dormir assim que eu te disser o que está
me machucando?

O mundo desacelera
Mas meu coração bate rápido agora
Eu sei que esta é a parte
Em que o fim começa

Não posso continuar com isso
Achava que éramos mais fortes
Tudo que fazemos é ir levando
Escapando de nossos dedos
Não quero mais tentar
Tudo que nos restou foi o adeus
Para encontrar um jeito de te dizer

Eu odeio essa parte
Eu odeio essa parte
Não posso suportar suas lágrimas
Eu odeio essa parte

Eu sei que me pedirá para aguentar
E continuar como se nada estivesse errado
Não há mais tempo para mentiras
Pois eu vejo o pôr-do-sol no seus olhos

Não posso continuar com isso
Pensava que éramos mais fortes
Fomos levando
Escapando de nossos dedos
Não quero tentar agora
tudo o que restou é um adeus
Para encontrar um jeito de te dizer

Mas eu vou fazer
Eu vou fazer
Eu vou fazer
Odeio essa parte"


E como tudo na vida, acabou. E tudo que acaba dói. Tudo que termina precisa de um ponto final. E eu sinto tanto por ter sido o ponto final mais duro de se colocar.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

. Namorando .




"Quer namorar comigo?" Ele com seu jeito inseguro e bom me perguntou. Eu disse não pela milésima vez. Mas logo consertei: "só se você pedir de joelhos". Eu disse numa terça feira a noite, numa padaria meio restaurante.. Ele resistiu e pela primeira vez não fez a minha vontade. "Eu não tô te pedindo em casamento. Quando for pra casar eu me ajoelho." Ótimo. Me contrariou. "Sim". O pedido de joelhos existe no meu conto de fadas e por ele não ser meu príncipe então não tinha o porque se ajoelhar.
E aí OK. Ele me toca como uma criança que ganhou um brinquedo novo. Finalmente ele agora tem a primeira namorada. E eu deixo ele me carregar para cima e para baixo, como um troféu, como a jóia mais rara e cara da vida dele. Eu deixo ele me dar mometos felizes, porque todas as horas ao lado dele são felizes. A felicidade só se perde quando ele está longe. Com ele longe eu esqueço o quanto aquele sorriso, aquele corpo e aquele olhar são o meu poço de água pura, o meu pequeno pedaço de paraíso. E vendo por esse lado, estarei eu errada por me permitir ser um pouco feliz? Será errado ser um pouco irresponsável e não pensar em nada além dele naquele momento?
Então eu vou vivendo. Com horas felizes, onde sou amada e amo. E outras com uma coisa cruel e dura: a realidade.

domingo, 2 de agosto de 2009

E quando ela quase desistia de entender, ele a fez amar.




"Eu experimentei uma sensação que até então não conhecia,
de se querer bem, de se querer quem se tem.
E ele me faz tão bem..!"

(Jota Quest)

Procurei palavras e canções e poesias e até paixões que pudessem explicar e exteriorizar o que eu to sentindo.
Nada encontrei. É algo tão louco, um meio termo entre te amar e te odiar que eu não consigo entender. Algo como ter febre e congelar ao mesmo tempo. Como uma luta contra eu mesma. Te amo porque amo e te odeio porque não sei como você conseguiu isso.
Queria achar assim a resposta de "por que não posso me imaginar sem você" e "o que me impede tanto de te ter e te assumir assim pra sempre". Eu sei que só depende de mim.
Eu já superei com você coisas que nenhum outro homem conseguiu me fazer superar. Você que é tão novo, lindo, puro e bom. Você faz com que eu não me importe com as coisas que antes fariam com que eu te desse um pé na bunda e depois não quisesse mais lembrar que um dia você esteve na minha vida. Ou que me fariam te trair. Ou fazer greve de sexo.
Mas eu não consigo distância da tua cama. E da tua boca, mãos e pernas e braços. Não consigo dizer que te amo, mesmo tendo vontade 100% do tempo em que estou com você. E me mataria se dissesse que não te quero mais.
Porque eu quero você a toda hora e eu quero você agora aqui pra cuidar da minha garganta e das minhas tonturas que me deixam com vontade de dormir o dia todo. Por favor venha me acordar, me traga um chocolate quente do jeito que você tanto gosta e depois me ame. Como quem não quer perder nenhum segundo dessa vida simples e boa. Mesmo que eu reclame de dor no corpo, de mal estar por estar gripada. Me ame. Sem esperar muito porque eu já tenho tentado te dar o melhor de mim. Por favor faça algo com esse meu melhor, mesmo que lhe pareça pouco, é tudo de maior que eu posso te dar. Transforme ele numa canção bonita, em fotos sinceras ou em um romance que faça todos ao nosso redor se apaixonarem.
Como quando você briga comigo por telefone preocupado porque eu estou num churrasco e bebi. Mas não porque bebi e sim porque estou doente e tomando friagem. Eu me irrito e depois me derreto lembrando de como você me quer bem.
Como quando você me obriga a ir num evento e faz dele o melhor e mais divertido de todos. Como quando você faz lasanha pra minha amiga. E ainda deixa ela deitar no seu sofá e usar sua pasta de dente, reclamar da sua barba e beber do nosso guaraná, sem reclamar.
Como quando você sai apressado e o pneu do carro fura. E você pára. Ergue o carro com o macaquinho torto, faz uma força que achei que você não tinha pra tirar todos os parafusinhos do pneu e o tira. Com o cuidado e a calma que Deus te deu. E ao invés de eu ficar chateada pela demora, eu sinto inveja. Inveja do pneu que está sendo tocado pelas tuas mãos naquela hora. Mãos que podiam estar me tocando, mas sei que você faz tudo tão perfeito e certo pra que eu possa subir no carro denovo e me proteger do frio. Sinto orgulho por você ser o único do carro que sabe trocar pneu.
Até teus amigos te olham com ar de inveja boa (tem inveja que pode ser boa?). Se perguntam o que você fez pra me ter ao lado. Olham como quem não acredita quando chego do bar trazendo uma água pra mim e uma cerveja pra você. Se surpreendem com a minha necessidade de te tocar toda hora. Com a minha falta de senso de tempo quando te beijo. Se empolgam quando veem que a gente pode dançar junto ou separado e sermos felizes. Por que de alguma forma estamos unidos. Se espantam quando eu não ligo se você vai beber, se vai zuar com eles ou sair por lá dando voltas. Eu sei que você é meu. Só meu.
Você me faz perder a vontade de me importar com aquele outro amor distante que seria meu marido. Você está mudando meu presente e todos os meus planos pro futuro.
Eu dispenso qualquer cara que não seja você. Sem dor, sem dó. Você vale até mesmo um mar de lágrimas. Vale os créditos do meu celular todo, as minhas horas na internet. Você vale tanto que eu nem sei. E é por isso que eu gosto de você, por não saber explicar, não ter que explicar. Por me fazer perder a razão, o chão e umas horas de sono.

" Remember those walls I built
Well baby they're tumbling down
And they didn't even put up a fight
They didn't even make a sound
I found a way to let you in
But I never really had a doubt
Standing in the light of your halo
I got my angel now"
(Halo - Beyoncé)

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Teu único defeito!




Eu devo ser assim.. Como um demônio na sua vida.
Quanto mais você me agrada, mais eu piso em você e te peço para lamber meu chão.
E, eu juro, tenho vontade de me matar por isso. Você não merece ser assim mau tratado. Tá certo que também sei cuidar muito bem e te encher de carinho. Mas quando eu tô afim de uma briga, meu amigo..
Muitas vezes já cheguei a pensar que eu simplesmente não te mereço. Você é bom demais pra mim. Teu amor é puro demais que chega a me dar enjoos. Mas é tão bonito.
Teu amor é tão novo e bonito que eu seria capaz de ficar dias adimirando.
Você não é exatamente quem eu amo, mas por ora é perfeito para o papel. Afinal passar a vida sem amor é muito sem graça. E eu falo falo falo que não te quero, que talvez você não valha a pena, mas é só te ver que me quebro inteira e te imploro que me leve.. Junto com você e pra longe daqui.
Teu gosto é tão seu, teu cheiro é tão seu e eu sou tão você..
Talvez, nosso problema seja os outros. Eu que sempre declarei que nada nem ninguém interferiria na minha vida.
Todas as minhas amigas reclamam dos namorados, rolos e tal. E se não reclamam tentam esconder as mil falcatruas que os caras aprontam.. E adivinhe.. ! Eu não tenho uma vírgula para reclamar de você.
Você abre a porta do carro pra mim, faz minhas vontades. Corre atrás de um sonho doce se esse é meu desejo ou encomenda esfihas se me da a doida de querê-las. Você toma banho rápido para não me deixar esperando e depois me dá aquele beijo que só você sabe pra me tirar o ar. Você saboreia um milk shake de morango como ninguém! É tão lindo que me dá vontade de parar o mundo pra te agarrar. Você é a única pessoa que eu conheço que come um lanche do Mc Donald´s cheio de cebola e tudo mais e fica com um hálito digno de Deuses. Você aguenta os meus sonos intermináveis e não reclama se hoje a tal dor de cabeça surgiu. Você me aconchega tão certinho no teu braço que é como se eu tivesse nascido para ele.. E me cobre toda para que nenhuma parte do meu corpo se arrepie de frio (mesmo sabendo que o teu calor é a única coisa que faz meu corpo se eriçar da cabeça aos pés). Você paga a nossa conta. Me deixa dirigir o seu carro e tem uma escova de dentes pronta para mim na sua casa. Você me faz assistir ao jogo de futebol em plena quarta a noite comendo pipoca mas depois vai comigo no cinema ver aquele romancezinho que você não gosta. Você aguenta minha TPM, minhas brigas sem porque e meus ciumes bobos. Aguenta telefone na cara, gritos soltos e até uma saudade. Você usa moleton e fica lindo, usa camisa polo e fica divino, até só de cueca você fica perfeito. Você aprendeu a cozinhar por mim, marcou médico e fez exames por mim, deixou de sair por mim, virou amigo das minhas amigas por mim e até me apresentou para os teus pais. Você aguentou quase uma traição, aguentou um, dois, alguns concorrentes. Já me aguentou te ligando bêbada e falando coisas sem sentido (só Deus sabe o que eu disse. Eu prefiro não saber!) Você me acalma quando bate uma crise de choro me chacoalhando no colo como um nenem, dizendo que já vai passar, que você está aqui. MEU DEUS VOCÊ ESTÁ AQUI AINDA, DEPOIS DE TUDO ISSO!
Você me apóia se quero mudar o cabelo, reza pelas minhas provas e torce para que eu volte a trabalhar na minha cidade.
Eu poderia passar a noite falando de tudo que você é, tudo que você fez e faz por mim. Mas nenhum texto, por maior que fosse, poderia explicar o meu pedido de DESCULPAS. Desculpa por não ser quem você merece e por ser só isso aqui. Por não te amar como você me ama, por brigar com você mesmo sem ter do que reclamar. Me desculpa por simplesmente não conseguir te dizer um SIM àquela pergunta que você tantas vezes já tentou me fazer. E você ainda se culpa, questionando-se sobre o que é preciso fazer para me ter como namorada. E eu te digo.. NADA! Porque o problema meu amor, não é você. É esse meu coração bobo que cai em qualquer topada mas aceita qualquer beijo mais bem dado e qualquer agrado. E depois não aguenta. Porque tem cicatrizes que não curou, medos que ainda não matou.
E o teu amor é tão puro e ingênuo e doce e cheio de vida que não vê. Não vê que você é perfeito e que o teu único defeito é simplesmente me amar!
Talvez se não me amasse eu amaria você.. Porque o meu coração não se contenta com as cicatrizes que já possui, ele gosta de sofrer. E você se mataria só de pensar em me machucar.
É eu acho que o problema sou eu mesmo. Mesmo sabendo que posso te ferir, mesmo sofrendo de imaginar te fazer chorar eu não resisto ao teu olhar, aos teus lábios doces, às tuas mãos que me puxam pra perto.. Como dar um doce a uma criança e esperar que ela recuse. Como oferecer uma maldade a um diabo e acreditar que ele irá rejeitar.Eu te desejo. Eu te quero só pra mim e mais ninguém. Ah meu Deus como me fizeste fraca!

"Somos todos culpados se quisermos. Somos felizes se deixarmos."
Fernanda Mello.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Se tem um sentimento que eu odeio é o medo.




Eu odeio o medo. Odeio.
O maldito devia, como disse a Pri, ser amarrado numa pedra e lançado ao fundo do mar.
Puta sentimento bosta. Eu acho que o medo é o pior sentimento que alguém pode ter, e,
por incrível que pareça, é o mais presente na minha vida nos últimos tempos.
Tenho medo de fazer luzes no cabelo e ficar feia. Ou fazer com que meu cabelo fique seco e caia mais ainda. Tenho medo de terminar um namoro mais ou menos e depois me arrepender e descobrir que perdi um cara bacana. Tenho medo de continuar e depois ver que perdi mais um pedaço da minha vida.
Tenho medo de transferir o estágio e as pessoas daqui já não gostarem mais de mim. Ou tenho medo de elas estarem com saudade e gostarem ainda mais.
O medo não me deixa tirar os pés do chão. E se estou voando me faz temer a hora em que eu vou cair.
Me impede de crescer e rir mais. Das coisas bobas. De ser um pouco mais boba e menos chata. Medo de não agradar, medo de agradar demais. Medo de amar e de perder.
Medo de me envolver.
Eu tenho medo de lagartixa, aranha e bicho grilo. Tenho medo de escuro, fantasma e gemidos. Tenho medo de ladrão, assalto e até da morte. Não a minha, mas a das pessoas que amo.
Eu tenho medo de engordar, de emagrecer demais.
Perguntei pra um amigo qual era o maior medo da vida dele. Eis a resposta: do tempo! Questionei o porque disso.. E ele disse: porquw a cada segundo que passa é ele que eu perco, é com ele que as pessoas se vão, é aproveitando ele que se vive a vida, quando não aproveitado faz com que a vida seja pela metade ...
O tempo esta em tudo ...
Só ele pra me impedir de fazer tudo que quero, de ter tudo que almejo ... do resto não tenho medo!
Daí comecei a repensar em todas as coisas que me deixaram triste hoje. Sim porque comecei a chorar do nada e a sentir uma coisa ruim. Comecei a repensar no que eu to fazendo com essa coisa que me deram. Uns chamam de presente, outros de dádiva. Eu prefiro o nome simples:VIDA.
E eu vi que pow. Ela tá caminhando bem. Não como eu gostaria mas tá indo.
E percebi que assim não tá bom. Que eu não tô feliz. Mas que não tô simplesmente porque tenho medo de ousar além. Medo de tentar de outro jeito. De recomeçar.
Eu tenho pavor de ficar sozinha. Pavor.
Não me sinto olhada, amada ou algo assim. Imagina eu saindo de novo nas baladas e nenhum cara nem olhando pra ver se minha bunda ta durinha!
Bom daí, ainda conversando com esse amigo ele disse que tudo que não acrescenta é perda de tempo. E eu não entendi. Ele explicou: é uma coisa que eu chamo de plano. Se trata do que você quer pra você, suas experiências, seus objetivos, conquistas. quando uma pessoa está muito abaixo do seu plano, não acrescenta.
Taí! Talvez ele tenha matado a charada..
Acrescetar, tempo, vida, matar o medo. Coisas a se pensar...

"...eu tô tentando remar meu barco
eu tô tentando armar um barraco
eu tô tentando não cair no buraco

eu tô tentando tirar o atraso
eu tô tentando te dar um abraço
eu tô penando pra driblar o fracasso...

eu tô tentando ser brasileiro
eu tô tentando saber o que é isso
eu tô tentando ficar com Deus
eu tô tentando que Ele fique comigo

eu tô fincando meus pés no chão
eu tô tentando ganhar um milhão
eu tô tentando ter mais culhão
eu tô treinando pra ser campeão

eu tô tentando ser feliz
eu tô tentando te fazer feliz

eu tô tentando entrar em forma
eu tô tentando enganar a morte
eu tô tentando ser atuante
eu tô tentando ser boa amante

eu tô tentando fazer meu filme
eu tô chutando pra marcar um gol

eu tô tentando ser feliz..."

(Eu tô tentando - Kid Abelha)

sábado, 4 de julho de 2009

Quando a saudade ACORDA.



"Ele não faz muito pela minha angústia existencial, até por não saber. E consegue tudo de mim. Consegue até o que ninguém nunca conseguiu: me deixar leve.
Sabe rir mole de bobeira? Sabe dançar idiota de alegria? Sabe dormir gemendo de saudade? Sabe tomar banho sorrindo para a sua pele? Sabe cantar bem alto para o mundo entender? Sabe se achar bonita mesmo de pijama e olheiras? Sabe ter ânsia de vômito segundos antes de vê-lo e ter fome de mundo segundos depois de abraçá-lo? Sabe não agüentar? Sabe sobrevoar o frio, o cinza, os medos, os erros e tudo que pode dar errado? Ele consegue fazer com que eu me perdoe por apenas viver sem questionar tanto. "
(Tati Bernardi)

Parece ironia do destino.
A tristeza foi capaz de te deixar mais bonito, mais maduro e mais meu. Te ver com esse novo brilho nos olhos, cheio de amor pra dar e agradecendo a Deus por me ter de novo em seus braços, me mostrou o quanto o sofrimento ás vezes é necessário. Sofrer te fez querer mudar. Mudar não por mim, mas por você. E, preciso admitir, mudar te fez melhor. Porque quando eu te liguei meia noite e meia naquela sexta feita querendo que fosse me buscar num bar qualquer, eu pensei que você fosse querer me matar. Mas você foi. Me recebeu como uma princesinha que decidiu cuidar.
Desde então o sorriso sem motivo voltou, a falta de chão e ar, o desejo doído de amar.
Cá estou em pleno sábado a noite, sem você e sem querer mais ninguém. Você foi para um curso no Rio e eu estou experimentando um final de semana sozinha. Por incrível que pareça percebi o quanto é ruim ficar com a vida vazia da sua presença.
Você é o pássaro selvagem que eu deixei voar. É o beijo que eu recusei ontem. Você é a paixão que eu abri mão de viver. Você é o risco que eu assumi. Você é a maquiagem que eu borrei de saudade. Você é esse aperto no peito. Você é a minha loucura maior. Você é essa vontade maluca de querer. Teu beijo, teu abraço, tua voz, teu suspirar, teu corpo, você inteiro. Você é essa noite fria. Você é meu buraco. Você é meu assunto numa tarde com uma amiga. Você é minha falta de apetite.
Mas também é essa vontade de comer o mundo. De engolir sem mastigar. É esse fogo que queima minha pele e me faz querer mais. Mais amor, mais tesão, mais você. Você é minha malhação, pra ficar bonita, é minha economia de créditos, pra ligar só pra te ouvir, é minha roupa nova, pra usar só com você. Você desperta em mim o que há de melhor. Me desperta um sorriso, uma felicidade sem explicação. Como se ela existisse só pelo fato de você existir na minha vida. Como se todo universo conspirasse a nosso favor.
Você é a cama quente que me faz ninar, é o sonho bom que não me deixa acordar. É a luz do sol que entra pela janela, enchendo o meu quarto com teu calor. É esse ar que preenche meus pulmões e o pulsar do lado esquerdo do peito. É a esperança de um futuro bom e a fé que me faz superar um passado de dores. Você é a lembrança boa. É o número para qual eu quero ligar, a casa que eu quero habitar.
A saudade me acordou pra você. Me fez ver o quanto eu te quero e o quanto ainda temos pra viver. Me acordou atrasada, mas pelo menos não perdi a hora. O sol já está raiando aqui dentro.
Você faz parte das minhas duas metades e está em todos os lugares. Longe ou perto, não importa. Se está aqui não quero que vá, se está lá não vejo a hora da volta!

"Nunca me disseram
O que devo fazer
Quando a saudade acorda
A beleza que faz sofrer
Nunca me disseram
Como devo proceder
Chorar, beijar, te abraçar
É isso que quero fazer
Isso que quero dizer

Eu já sei o que os meus braços vão querer
Quando eu te encontrar
Na forma de um "C"
Vão te abraçar
Um abraço apertado
Pra você não escapar
Se você foge me faz crer
Que o mundo pode acabar."
(Quando eu te encontrar - Biquini Cavadão)

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Uma nova chance para uma amizade tão bonita.



"Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia o tempo passe...
Mas, se a amizade permanecer,
Um de outro se há-de lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos...
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia não mais existamos...
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe...
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre."

É.. Não sei se considero isso um milagre, destino, ou um presente como te disse.
Hoje eu tenho que agradecer..Você meu amigo de fé, meu irmão camarada, voltou. Quem diria. Você que eu amo tanto, com quem dividi tanta coisa, não podia ir embora assim. Seis meses e um pouco mais de distância. Sem um piu. A gente conseguiu. Mas uma briguinha boba não podia acabar com tudo extremamente sério que a gente construiu.
Você voltou como se tudo não tivesse passado de um pesadelo. Eu pude te sentir aqui, me acalmando, falando que, como sempre dizia, tudo ficará bem. Passou. xiu xiu... Você tá aqui de novo. Graças a Deus.
O papo rola como se você nunca tivesse partido. Me pergunta do cotidiano, das novidades. E a minha saudade chega enorme, jorrando lágrimas de felicidade. Eu nem consigo acreditar.
Até que você diz que sabe que o que houve foi tão pequeno que não abalou o que sente por mim, que isso não é motivo para não falar mais comigo e que sabe que eu já tinha pensado em voltar a te procurar, assim como você. Eu nunca queria ter você longe. Só Deus sabe a falta que me faz.
Hoje eu descobri o que vem me faltando, esse buraco que se instalou aqui. Falta você amigo. A tua amizade que me faz crer que tudo vai passar, que o dia de sol sempre vem e que você nunca faltará. A tua amizade que me faz sentir que todos os homens podem me abandonar mas você sempre estará aqui com dois copos de wisky e energético na mão, um para me oferecer e teu ombro para me apoiar. Pra você que eu liguei quando levei aquele pé na bunda, quando tava me sentindo sozinha e até só para dizer um Oi. Você que estava ali quando eu fiquei bêbada, feliz, quando passei no concurso, quando quis comer o mundo.Estava ali no meu aniversário perdido, no meu carnaval doido e no meu nariz entupido. E eu sempre acompanhei tudo. Teus projetos, teus sonhos, teus pesadelos. Acompanhei deus rolos, enroscos e namoros. Te acompanhei como primeira dama naquela festa chique em Sampa, no teu niver na balada e com teus amigos nas choppadas. Eu vi você bem sucedido na empresa na qual trabalhou anos, vi você sair dela e montar teu próprio negócio meio receoso, mas sabendo que seria pro teu bem. Eu vi você feliz, triste, alegre, bêbado, com fome e satisfeito.
Eu lembro de tudo como num filme bom. Eu era feliz e não sabia!
Vem, eu quero te ver, sentir o teu abraço de novo.
Vem meu amigo, a gente tem a eternidade para viver.

Como nada é perfeito e bonito como estas linhas sempre há uma namorada para atrapalhar tudo! Argh.. nossa amizade será virtual quem sabe.. Tudo que muda nunca volta para o estado original do qual partiu.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Reencontro.




“Queria te dizer que hoje estou de bem com a vida
Que não senti nada com sua partida
Mas com um só dedo não se tapa o sol..”
(A dor desse amor)

Há semanas penso em você. Assim sem querer, como quem comeu um doce e fica se lembrando do gosto. Não para se torturar, mas para tentar sentir aquela paz, aquela satisfação de um dia. Pensei em você pra tentar lembrar mesmo que você existiu. 4 meses e meio se passaram e parece que foi em outra vida.
Lembrei das nossas viagens, de como conseguia me fazer sorrir, de como sempre atendia aos meus dengos e me mimava horrores. De como era confortável ter você. A qualquer hora, em qualquer lugar. Lembrei do teu cuidado, da tua atenção, da tua simpatia. Lembrei dos teus planos para uma casa nos moldes antigos, do teu desejo por filhos, da tua festa de casamento para poucos. E ri. Eu aceitava tuas vontades mesmo sem serem as minhas. Eu ia seguindo-te como o dono que segue o cão.

Então, juro que tentei não pensar, mas foi inevitável. Me lembrei de como tudo terminou. Me lembrei da facilidade e da frieza que você teve para chegar na porta da minha casa, no dia da festa do meu aniversário e me dizer adeus. Assim, seco, sem uma lágrima nos olhos. Lembrei de como eu gritei te implorando pra não me deixar aqui sozinha, de como você me olhou pelo retrovisor sem piedade, de como eu chorei quando fui na tua casa buscar as minhas coisas. Lembrei dos quilos que emagreci, do carnaval que eu perdi, dos amigos que se foram. Mas logo me esqueci. Pra te esquecer eu apaguei tudo. Esqueci-me do teu cheiro, do teu gosto, do teu prazer. Perdi seu telefone, seu e-mail. Apaguei nossas fotos (deixe-as bem escondidas), apaguei nosso amor. Como quem acende e rapidamente assopra um fósforo. Era humilhação demais continuar sofrendo por você.
Te apaguei tão rápido que, hoje vejo, não foi tempo o bastante para te tirar do meu coração. Porque passar esses meses sem te ver foi fácil. Mal sabia eu que o difícil seria te encarar. Te olhar de frente, sentir seu abraço sem bambear.

Parece que meus anjos vieram me alertando nessas últimas semanas. Me preparando. Por isso você voltou aos meus pensamentos, revi nossas fotos sem chorar, ouvi nossas músicas sem sofrer. Eu me permiti falar de você, sentir você. Me permiti olhar o teu orkut. Uma, duas, três vezes. Até descobri a monstra com a qual você parece ter um novo affair. Descobri que você está se permitindo amar de novo. E fiquei feliz por isso. Feliz por você, feliz por mim. Desejei que se casasse logo e realizasse tanto o teu sonho.

Descobri músicas que lembram o nosso fim. Músicas que me fizeram cantar de novo. O cantar é sempre mais bonito quando se está triste.

Meu Deus. Algo me dizia que seria hoje. Que hoje seria o nosso reencontro. Ninguém quis acreditar quando eu disse que estava sentindo isso. Estava sentindo que hoje era o dia. Tomei banho, demorei horas escolhendo a roupa mais bonita. E fiquei nervosa, ansiosa, com dor de barriga. Eu juro que não sabia que hoje seria tua palestra. Mas quando eu pisei no salão e te vi lá na frente só tive tempo de falar para minha mãe (que já se desesperava imaginando a minha dor): "eu disse".
Procurei o canto mais escondido e sentei trêmula da cabeça aos pés. Sem ar, sem chão. Fui premiada. Tua mãe faria a abertura e você a palestra. O tema “Buscando equilíbrio e harmonia”.
Você falava sobre como o amor é capaz de superar nossa mágoa, nossas dores. De como ele é a nossa cura e a nossa doença. Você me deixou porque estava doente e não foi capaz de se curar. Será então meu amor assim tão ruim que só faz machucar e não seca cicatrizes?
Disse ainda sobre quando nos desviamos de nossa estrada, de como é difícil encontrar a luz e retornar ao caminho. Por vezes a minha estrada foi você. O meu rumo, o meu norte, o meu porto seguro. Mas você nunca temeu me perder quando me fez perder os sentidos, a direção. Você arriscou a me perder. E eu te perdi.
Questionou a força estranha que faz com que os aviões decolem. Descobriu que eles só saem do chão porque enfrentam as ventanias que batem de frente e superam a gravidade. Com força, coragem e persistência. Tudo que você não teve. Hoje você descobriu que é preciso enfrentar as ventanias e não fugir delas e abrir mão de tudo que você já tinha. Hoje você aprendeu que o amor é o guia maior, e o amor de Deus eu digo, porque Ele sim nunca te abandonará.
Mas decorar uma porção de palavras bonitas e filosofar sobre a vida é fácil. O difícil é assumir os erros, é superá-los, é pedir perdão e se perdoar. É estar pronto pra se molhar se chover ou se desmanchar com o sol.

Cara, quer saber? Eu solucei a palestra toda, me perdi ao te encontrar. Perdi o ar, o chão, e não como quem está apaixonada mas como quem sofre.
E eu descobri que você ainda me faz sofrer. Meu corpo sem querer pareceu sentir que você me faz mal, e reagiu a isso. Chorou do seu modo menos contido e mais dolorido. Um choro silencioso, que machuca todos os poros do corpo.
Você ainda me surpreende. Vem cumprimentar, puxar papo. Como quem admira o espetáculo a sua frente. É bonito me ver chorar? Te faz bem me fazer sofrer? Pois então desfrute. Foi a primeira e última vez. O que eu puder fazer, o quanto eu puder orar, para não te encontrar eu vou fazer.
Me acostumei em encarar a dor, a solidão, a insegurança e todos esses sentimentos ruins, mas ainda não aprendi a encarar você.

E agora não me mande e-mail lamentando ter me feito chorar. Eu chorei por mim. Por ter me permitido tanto. Ter me permitido ir tão longe. Lamentei por mim. Não porque te perdi. Por você, eu só lamento que me perdeu...

Fui embora, mal me despedi. Cinco minutos e já era minha vida outra vez. Feliz, sem lágrimas, sem você e com um novo amor!

"..Por isso Deus me livre eu tenho medo de voltar
Me fez sofrer demais
mas te olhando eu fico louca
Por isso Deus me livre de encarar você de novo..
não dá pra ficar cara a cara
Eu quero esquecer mas se vejo você
coração dispara
Por isso não quero te ouvir nem te olhar
melhor continuar como estamos
Não posso voltar
Deus me livre te amar..”
(Deus me livre)

(20 de junho de 2009)

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Por querer demais.




É aquilo que eu não tenho que eu quero. É a música que eu ainda não encontrei que quero ouvir. É aquele que está longe de quem sinto falta. É aquele abraço vazio que me enche. Se estou com os músculos duros quero eles murchos e finos, quando não, quero-os firmes. Se quero uma roupa vou lá e compro, cinco minutos depois já estou me lamentando pela que deixei de comprar. É a barriga sarada e os peitos que não tenho que quero. É o namorado imperfeito que me fará amar e se isso for imaturidade minha então eu quero mais é parar com isso de ser madura demais e ficar em cima da árvore do que no chão ao redor dela. É aquele telefone que não me atende que eu quero chamar. É aquela maquiagem borrada que eu quero no rosto. Se estou morena é loira que eu quero estar e se meu cabelo está curto, logo o que comprido. É no amigo que não tenho mais que sigo pensando. É no sapato que ainda não calcei que me vejo caminhando. É na chuva que não caiu que eu quero me molhar e quando ela cair vai ser o sol que vou desejar. É quando quero emagrecer que mais como chocolate e é quando quero engordar que perco a fome. Se você me vê calma, é louca que eu quero ficar. E se estou muito na paz eu quero a revolução do mundo. Se não te tenho mais, é porque agora te quero. Eu quero gritar. Quero me calar. Eu odeio o mundo por te deixar longe mas o amo por saber que ao menos você existe em algum lugar e não apenas nos meus pensamentos. Se tenho a tal bota marrom baixa agora quero a preta. Se tirei 7 na prova eu quero 10. E se tenho 10 me contentaria com um 7. Se tenho dinheiro sobrando faço tudo para gastá-lo depressa e se não o tenho fico doida rezando para algum ser divino aumentar os numerinhos dela. É a ligação que chega de repente e vem de longe que eu espero sempre, todos os dias e horas da minha vida. É por te odiar que eu te amo com todo meu coração. É o amor de cinema que eu quero ou talvez a vida de mil aventuras. Eu quero um amor eterno ou talvez vários que durem tempo suficiente. O que eu tenho não me basta e nunca vai bastar. Eu quero sempre mais, menos, tudo ou nada. A verdade é que nunca sei o que quero. Isso me faz única. Não faz com que caia na rotina essa vida que já é tão chata por me limitar. Mas também me cansa. Me cansa de mim mesma, de você e de todo mundo. Porque eu sei que é um círculo, que não termina.
E é por querer tanto, por querer demais, que fico presa nesses fios todos que cada vez me pedem mais (ou menos) e não me deixam viver sem pensar.